Índice de Commodities do Banco Central sobe 0,12% em novembro ante outubro - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Economia
Índice de Commodities do Banco Central sobe 0,12% em novembro ante outubro
Publicado por Estadão Conteúdo

O Índice de Commodities do Banco Central (IC-Br) subiu 0,12% em novembro ante outubro, informou nesta quarta-feira, 2, a instituição. O indicador passou de 266,69 pontos para 267,00 pontos.

Para efeito de comparação, o BC também divulga em seu documento o indicador internacional de commodities, o CRB, que recuou 3,42% na mesma relação mensal.

A alta do IC-Br na margem em novembro foi resultado direto do avanço de dois dos três segmentos que compõem o indicador: Agropecuária (+0,48%) e Metal (+0,90%). O segmento de Energia (-2,75%) apresentou decréscimo.

Em Agropecuária estão incluídos itens como carne de boi, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco. Já o segmento de Metal reúne alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel. Por sua vez, em Energia estão inclusos os preços de gás natural, carvão e petróleo.

No acumulado do ano até novembro, o IC-Br exibe alta de 29,91%, com Agropecuária em alta de 31,76%, Metal com elevação de 53,55% e Energia com avanço de 2,01%. O CRB no período subiu 32,84%.

Em 12 meses até novembro deste ano, o indicador do BC mostra alta de 30,71%, com Agropecuária em alta de 34,03%, Metal com elevação de 51,39% e Energia com avanço de 0,63%. CRB do mesmo período avançou 30,44%.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.