Judoca Daniel Cargnin derrota número 1 do mundo e vai à semifinal em Tóquio - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Esportes
Judoca Daniel Cargnin derrota número 1 do mundo e vai à semifinal em Tóquio
Reportagem produzida por Estadão Conteúdo

Estreante em Jogos Olímpicos, o judoca Daniel Cargnin está na semifinal na categoria até 66kg, isto é, garantiu vaga na disputa por medalha em Tóquio. O brasileiro não se intimidou diante do italiano Manuel Lombardo, líder do ranking e atual vice-campeão mundial, e venceu o combate na madrugada deste domingo, pelo horário de Brasília.

Para desbancar o número 1 do ranking, Daniel conseguiu um wazari faltando sete segundos para o fim da luta. Na semifinal, o gaúcho de 23 anos vai enfrentar o japonês Hifum Abe, que ostenta duas medalhas de ouro e um bronze em mundiais. A luta será a partir das 5h da madrugada deste domingo (horário de Brasília).

Abe Hifume, do Japão, é bicampeão mundial e ocupa o quinto lugar na categoria. Sua irmã, Abe Uta, que luta no meio-leve feminino (até 52kg) e também tem dois títulos mundiais, foi a algoz da brasileira Larissa Pimenta nas oitavas de final em Tóquio.

Em sua caminhada em Tóquio, na sua primeira participação olímpica, além do italiano líder do ranking, Daniel despachou o egípcio Mohamed Abdelmawgoud na estreia e o moldávio Denis Mdavieru nas quartas. Mesmo se perder nas semifinais, ele continuará com chance de faturar uma medalha, já que pode disputar a repescagem pelo bronze no tatame do Nippon Budokan.

Natural de Porto Alegre, Daniel Cargnin teve grandes resultados no ciclo olímpico, marcado por sua transição das equipes de base ao time principal. Em 2017, ele conquistou o ouro no Mundial Júnior, e firmou-se como o principal nome da categoria no Brasil. Arrematou dois títulos pan-americanos (2017 e 2020) e teve seu melhor resultado no Grand Slam de Brasília, em 2019, quando foi campeão batendo justamente o italiano Manuel Lombardo. No Pan de Lima, ficou com a prata.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.